Com segurança, volta às aulas deve ser por saúde mental, diz secretário de Educação

Nesta quarta (07), as escolas da rede estadual de São Paulo poderão retornar com aulas regulares presenciais para o ensino médio e EJA (educação de jovens e adultos)

- PUBLICIDADE -

O secretário estadual de Educação, Rossieli Soares, disse nesta segunda (05) que o retorno dos alunos às escolas é seguro e pediu que as famílias levem em conta os aspectos socioemocionais para decidir se os filhos devem retornar às unidades.

Uma foto dos estudantes indo à escola de máscara
Foto: República de Las Ideas

- CONTINUE DEPOIS DA PUBLICIDADE -

“Ter condição ou não de acesso à tecnologia [para acompanhar as aulas remotas] não deve ser o único fator para dizer se o seu filho volta ou não à escola. Temos muitos fatores a serem considerados, temos jovens com nível elevado de depressão, sem espaço de socialização”, disse Soares.

“Se for possível, enviem seus filhos à escola com segurança, seja a escola pública ou privada”, continuou o secretário.

Nesta quarta (07), as escolas da rede estadual de São Paulo poderão retornar com aulas regulares presenciais para o ensino médio e EJA (educação de jovens e adultos). Desde 08 de setembro, as unidades já estão liberadas para atividades extracurriculares.

Apesar da autorização do governo João Doria (PSDB), a reabertura depende ainda da liberação dos prefeitos. A adesão neste primeiro mês foi baixa. Das 5.500 escolas da rede estadual paulista, 400 reabriram (7,2% do total).

“Temos 400 escolas com atividades e esse número crescerá. Mas não nos importamos se tiver uma ou cem escolas reabertas, eu estou satisfeito porque é uma oportunidade para os alunos que mais precisam. Estamos falando de uma volta participativa”, disse o secretário.

A partir desta quarta, as escolas públicas e privadas poderão reabrir na capital paulista. O prefeito Bruno Covas (PSDB) foi um dos primeiros a anunciar que não seguiria o cronograma estabelecido por Doria.

Apenas uma das 4.000 escolas municipais e 100 das 1,1 mil estaduais da capital reabrirão nesta quarta. A retomada parcial com atividades extracurriculares nas unidades municipais dependia da aprovação dos conselhos regionais escolares de cada uma, composto de professores, direção, estudantes e famílias.

A prefeitura não informou o nome da escola que decidiu pela reabertura, mas confirmou que só uma deverá reabrir. A gestão tucana também divulgou fotos da escola municipal Veremundo Toth, na região de Paraisópolis (zona sul), preparada com as normas sanitárias, mas não disse se é essa a unidade que vai abrir.

A coordenadora do Crece (Conselho dos Representantes dos Conselhos de Escola), Kezia Alves, disse que o conselho deliberou, após reunião sábado (03), o posicionamento pelo não retorno.

“Redigimos um manifesto e fizemos alguns apontamentos, mas o mais importante é a proteção a vida, porque acreditamos que o ganho pedagógico não compensa, já que pode aumentar o número de contaminados”, disse. As unidades municipais poderão receber até 20% dos alunos por turno, prevê utilização de EPIs (Equipamentos de Proteção Individual) e a permanência limitada a duas horas diárias.

Informar Erro

- CONTINUE DEPOIS DA PUBLICIDADE -

Via Folhapress
Leia também

Nós usamos cookies e outras tecnologias semelhantes para melhorar a sua experiência em nossos serviços, personalizar publicidade e recomendar conteúdo de seu interesse. Ao utilizar nossos serviços, você concorda com tal monitoramento.

Prosseguir