Em Piracicaba, procurador orienta donos de bares/restaurantes sobre funcionamento na fase amarela

Por mais que estejamos na fase amarela, donos de bares/restaurantes ainda devem seguir o protocolo sanitário

- PUBLICIDADE -

Na tarde desta quinta-feira (20), o procurador-geral do Município, Milton Sérgio Bissoli e o sub-comandante da Guarda Civil, Ronaldo Milani, se reuniram com representantes da Associação dos Moradores e Comerciantes da Rua do Porto (Amoporto) e da Apaflar (Associação Piracicabana de Alimentação Fora do Lar) para dar dicas e orientações de como bares e restaurantes de Piracicaba devem funcionar nesta fase amarela.

Os representantes dos bares e restaurantes foram orientados a seguir o protocolo sanitário, que determina: capacidade máxima de 40% nos estabelecimentos, horário reduzido de 06 horas, consumo local até 17h no máximo e adoção de protocolos gerais já determinados no Decreto Municipal 18.379/2020.

- CONTINUE DEPOIS DA PUBLICIDADE -

O procurador-geral de Piracicaba aproveitou para lembrar que bares e restaurantes não podem passar do horário estabelecido pelo Decreto. “Se recebermos alguma denúncia da população de que bares e restaurantes não estão cumprindo o que foi determinado no Decreto Municipal, acionaremos a Vigilância Sanitária, Pelotão Ambiental, Guarda Civil, Ministério Público Estadual e Polícia Militar para fiscalizar e multar [o estabelecimento infrator]”, informou o procurador.

A multa aos estabelecimentos infratores pode chegar a R$ 276 mil, além de perda do alvará. “Nós queremos que a economia caminhe de forma natural, mas também iremos nos preocupar com a vida da população”, finalizou.

Informar Erro

- CONTINUE DEPOIS DA PUBLICIDADE -

Leia também

Nós usamos cookies e outras tecnologias semelhantes para melhorar a sua experiência em nossos serviços, personalizar publicidade e recomendar conteúdo de seu interesse. Ao utilizar nossos serviços, você concorda com tal monitoramento.

Prosseguir