SBT Memória: Conflitos e histórias no Casos de Família

- PUBLICIDADE -

MemoriaSemanalmente você faz uma “viagem no tempo” com os programas que marcaram época da emissora de Sílvio Santos. Só aqui no SBT Memória – coluna de Daniel Yahir publicada no Blog Oficial (www.danielyahirtv.blogspot.com) e no site Piracicaba Notícias (www.piranot.com)

O SBT sempre se destacou por seus talk shows polêmicos. Na década de 80 chegou a exibir (dublado) o mexicano Geraldo. Nos anos 2000 foi a vez de Márcia Goldschmidt e logo depois Ratinho.

- CONTINUE DEPOIS DA PUBLICIDADE -

Apostando desta vez num formato mais leve a emissora contrata a jornalista Regina Volpato – que era da Band News. Estreia então em 17 de maio de 2004 o Casos de familia – formato comprado de Miami onde é apresentado pela também jornalista Judith Grace.

Diariamente apresenta histórias do cotidiano. Os convidados expõe suas reclamações, a platéia ouve e opina. Regina Volpato procura esclarecer as questões e no final um dos psicólogos do programa orienta os participantes. De 2004 a 2009, sob o comando de Regina, o programa foi levado como uma conversa leve, sem bate-boca – lembrando muito uma sessão de terapia mas com muito bom humor.

Sílvio Santos – dono do SBT – resolve mudar o formato já que em 5 anos o programa teve queda na audiência. Volpato não concorda com o novo estilo que seria implantado – incitação de bate-boca, brigas, temas mais polêmicos, expulsão de convidados mais “exaltados” – algo semelhante ‘a primeira fase do “Márcia”, da mesma emissora. Regina Volpato encerra sua jornada no Casos em 27 de fevereiro de 2009.

Começam então testes para nova apresentadora. Christina Rocha é escolhida para assumir o programa a partir de 4 de maio de 2009 e se mantém no posto das tardes do SBT.

Informar Erro

- CONTINUE DEPOIS DA PUBLICIDADE -

Leia também

Nós usamos cookies e outras tecnologias semelhantes para melhorar a sua experiência em nossos serviços, personalizar publicidade e recomendar conteúdo de seu interesse. Ao utilizar nossos serviços, você concorda com tal monitoramento.

Prosseguir