Suspeito de estuprar mais de dez mulheres em SP é preso

Segundo informações, ele registrou os estupros nos últimos quatro anos em vídeos feitos com um celular

- PUBLICIDADE -

A polícia prendeu nesta segunda-feira (10) em Bataguassu, no interior de Mato Grosso do Sul, um homem acusado de cometer pelo menos dez estupros na cidade de São Paulo (SP). C.A.J.S, de 50 anos, estava escondido na casa de parentes depois de ter fugido há três semanas de São Paulo.

Uma foto do estuprador sendo preso
Foto: Reprodução

O criminoso atraía as vítimas oferecendo vagas de trabalho por mensagens de celular. Segundo informações, ele registrou os estupros nos últimos quatro anos em vídeos feitos com um celular. Por isso, a polícia estima que o homem possa ter estuprado mais de dez mulheres. O material está sendo analisado para a identificação de possíveis vítimas.

Um estupro atribuído ao criminoso, em outubro do ano passado, deu início às investigações da Polícia Civil. Segundo o delegado Wilson Roberto Zampieri, titular do 6º DP, ele trocou mensagens com uma vítima, prometendo uma vaga de emprego. Eles marcaram uma conversa e, após se encontrarem, o homem teria convencido a mulher a acompanhá-lo até um hotel no Cambuci (região central da capital paulista), onde ele teria dito que ocorreria uma seletiva para a falsa vaga de emprego.

No quarto, ele a ameaçou de morte mentindo ser policial civil e a estuprou, de acordo com o delegado. A mulher registrou a denúncia contra o suspeito em 26 de outubro. Após cerca de dez meses de investigação, a polícia identificou o desempregado e começou a procurá-lo em endereços na capital paulista e na Grande SP.

Em 16 de julho, dois investigadores localizaram o homem dentro de um carro, em Itapecerica da Serra (Grande SP). Quando um dos agentes, uma mulher, se aproximou do veículo, o suspeito acelerou e jogou o carro para cima da policial, segundo boletim de ocorrência. A investigadora chegou a dar um “tiro de advertência”.

Na sequência, ainda de acordo com a polícia, o suspeito jogou o carro para cima do outro investigador, que também atirou. Ninguém se feriu.

O veículo foi encontrado abandonado na Rua Lisboa, a cerca de 1 km do local da abordagem. Dentro do carro, os policiais encontraram um distintivo falso da Polícia Civil, que o estuprador usava para intimidar as vítimas. No dia seguinte, a Justiça decretou a prisão temporária, por 30 dias, do desempregado.

A prisão

- CONTINUE DEPOIS DA PUBLICIDADE -

Segundo a polícia, a investigação apontou que o indivíduo estava escondido em uma área rural de Mato Grosso do Sul. “Acionamos a Polícia Civil da região e investigadores de lá ficaram sabendo da chegada de um estranho na região rural e, por isso, descobriram onde o suspeito estava. Ele foi preso em seguida”, explicou o titular do 6º DP.

Caso tenha sido vítima do estuprador procure o 6º DP no telefone (11) 3208-6065 ou ligue para o Disque Denúncia (181).

Defesa alega inocência

O advogado Carlos Eduardo Pereira da Silva, que defende o suspeito preso, afirmou que seu cliente “nega com veemência” ter cometido crimes sexuais. “Segundo o que foi dito a mim, em particular, jamais houve por parte dele a prática de violência ou grave ameaça contra quem quer que seja”, afirmou o advogado.

Sobre a acusação de tentativa de atropelamento dos dois policiais civis, o defensor afirmou que seu cliente “jamais teve a intenção de matar alguém”. “Acrescentando, inclusive, que no momento em que  foi abordado pelos policiais do 6º DP, os confundiu com bandidos e pensou se tratar de uma tentativa de homicídio contra si, motivo pelo qual saiu do local dos fatos daquela forma”, disse. O suspeito não tem antecedentes criminais.

Com informações do Folhapress

Informar Erro

- CONTINUE DEPOIS DA PUBLICIDADE -

Leia também

Nós usamos cookies e outras tecnologias semelhantes para melhorar a sua experiência em nossos serviços, personalizar publicidade e recomendar conteúdo de seu interesse. Ao utilizar nossos serviços, você concorda com tal monitoramento.

Prosseguir