Turista Italiano e Inglês, defendem Manaus da Mídia Internacional.

- PUBLICIDADE -

Tarântulas, escorpiões, cobras, mosquitos e um calor de matar. Foi assim que Manaus, uma das cidades-sede da Copa de 2014, foi caracterizada por parte da mídia britânica, em percepção endossada pelo comentário apressado do técnico da seleção inglesa. Antes mesmo do sorteio que encaminhou seu time ao norte do Brasil, Roy Hodgson deflagrou uma polêmica ao dizer que a capital amazonense não é um lugar ideal para se jogar futebol, em razão do clima.

“Não é tão quente assim”, afirma Marco Porcaro, italiano da Nápoles, que mora em Manaus há oito anos. “O calor do Brasil é diferente, mais úmido. Quem vem da Europa vai estranhar um pouco, mas não é esse drama todo que estão fazendo. Dizer que é insuportável é exagero”, avalia.

- CONTINUE DEPOIS DA PUBLICIDADE -

O mesmo diz o inglês Chris Westwood, 28 anos. O jornalista chegou à terra dos manauaras em 2012 para conhecer a selva amazônica e acabou ficando. “Senti o calor e a umidade assim que sai do avião, mas já me acostumei. Nada que um banho não resolva”, conta. “Acho que os ingleses vão gostar do calor. Se trouxerem protetor solar, não tem problema algum. Vai ser como curtir um feriado”.

Já sobre os bichos perigosos que os torcedores precisam ‘enfrentar’, como escorpiões e cobras, citados na matéria do “Daily Mail”, os dois categóricos: “Besteira”, afirmaram. “A não ser que a pessoa vá fazer um passeio no meio da selva ou no rio, não precisam se preocupar com isso. Só aconselho que tragam repelente”, ressalta Chris.

“Que lê essas coisas pensa que a gente mora no meio da floresta. Manaus é uma cidade grande e, dificilmente, você vai ver onças e cobras atravessando a rua”, brinca o italiano Marco.

Para o napolitano, que é chef de um restaurante no centro da cidade, o único ponto negativo é o transporte. “De uns tempos para cá, o trânsito está ficando cada vez pior. Estão construindo novas vias para o Mundial, então, espero que melhore”, comenta.

Na opinião de Chris, o que pode surpreender os ingleses é a falta de organização e, talvez, os protestos que podem acontecer durante o campeonato. “O Brasil é um pouco desorganizado e nós não estamos acostumados com isso na Inglaterra. As manifestações violentas também vão chamar a atenção”, destaca.

Em Manaus, Chris e Marco se tornaram pontos internacionais de informações sobre o Brasil. Enquanto o napolitano esclarece dúvidas a italianos que ligam em seu restaurante, Chris criou um site, o In Brasil 2014, com informações para torcedores gringos. “Depois das besteiras que publicaram por mundo afora, muita gente começou a me escrever. Foi quando resolvi criar o site e escrever um blog com minhas impressões sobre o Manaus e o Brasil, no geral”, conta.

E diferente do que se imagina, as principais dúvidas dos turistas não gira em torno de preocupações com o clima ou com animais perigosos. “A maioria quer saber sobre as acomodações”, informa Chris. “E, sim, vai ter lugar para todo mundo”.

“Também me perguntam muito sobre a comida”, diz Marco. “Sempre digo que tem muita variedade e não só peixe, como todo mundo pensa. Se quiser, tem comida italiana, mexicana, japonesa… Embora eu acredite que ninguém deva sair daqui sem provar o tambaqui e o açaí”, completa.

As críticas sobre Manaus ganharam repercussão depois que o prefeito da cidade, Arthur Virgílio, respondeu às declarações de Roy Hodgson. “Torcemos para que venha uma seleção melhor, com mais futebol e um técnico mais sensível, culto e educado”, rebateu o prefeito Arthur Virgílio em entrevista ao “Diário da Amazônia”.

Após a polêmica, o técnico inglês tratou de colocar panos quentes na situação. “Eu não tive a intenção de desrespeitar a área de Manaus. Eu estava falando apenas sobre os desafios do clima e da umidade em comparação com outras sedes, e o tempo de viagem que irá acarretar. Como alguém que gosta de viajar e visitar novos lugares, eu gostaria de ver a beleza da região. Tenho certeza de que Manaus será uma sede maravilhosa na Copa do Mundo”, disse em comunicado divulgado no site oficial da Federação Inglesa.

A Fifa também não deixou o tema de lado e publicou, em sua edição semanal  “The Fifa Weekly”, uma matéria que credita Manaus como ‘a próxima aventura do futebol’. “O calor, a umidade e a localização fez com que cidade  tropical do Amazonas se tornasse o destino mais popular da Copa do Mundo. Mas Manaus é exótica, diversificada e tem muito para oferecer, incluindo uma história fascinante e uma das mais impressionantes opera house do mundo”, destacou.

Arthur Virgílio também amenizou: “Ele (Roy Hodgson) pode ser inculto, mas não necessariamente uma má pessoa. A Itália vai ter uma torcida que ela nunca imaginou na vida, inclusive a do prefeito de Manaus”, completou.

“Eu concordo. Muita gente que conheço diz que vai torcer para Itália e não me dizem isso só porque eu sou napolitano”, vibra Marco, que aposta em uma vitória de 2 a 1 sobre a Inglaterra.

Para Chris, independente das declarações de Hodgson, os manauaras continuarão torcendo pelos ingleses. “Eles têm uma obsessão pela cultura britânica aqui. Todo mundo usa camisetas com a nossa bandeira estampada. O povo aqui de Manaus ficou feliz com o resultado do sorteio. Acho que a única pessoa que não ficou foi o prefeito”, diz o inglês.

A Inglaterra foi sorteada para estrear no Mundial em Manaus contra a Itália, na rodada de abertura do grupo D. A partida será disputada no dia 14 de junho e teve seu horário modificado, segundo a Fifa, por causa do calor no Amazonas. O jogo vai ser realizado às 18h local (19h no horário de Brasília).

Informar Erro

- CONTINUE DEPOIS DA PUBLICIDADE -

Leia também

Nós usamos cookies e outras tecnologias semelhantes para melhorar a sua experiência em nossos serviços, personalizar publicidade e recomendar conteúdo de seu interesse. Ao utilizar nossos serviços, você concorda com tal monitoramento.

Prosseguir