Palavrões tomam conta das novelas

- PUBLICIDADE -

Foi-se o bom tempo em que assistir TV não nos deixávamos envergonhados com as situações ali apresentadas. Realmente, já tivemos períodos piores no que se refere as cenas de nudez e sexo semi-explicito que víamos nas novelas da década passada, mas sem elas, a apelação veio de uma outra forma sendo essa talvez até mais agressiva.

Quando crianças, nossas mães nos ensinaram a ter educação e respeito com o próximo, termos chulos ou de baixo calão eram proibidos, mas esses termos hoje estão sendo apresentados por algumas emissoras em sua teledramaturgia como uma realidade do povo brasileiro, o que é uma grande mentira.

- CONTINUE DEPOIS DA PUBLICIDADE -

Acredito que esses termos, muito usados por pessoas de classes mais humildes, possam realmente existir com muita naturalidade para essa pequena parte da sociedade, mas aumentar essa realidade e faze-la se passar como normal e a generalizando como vem sendo feito em novelas como nas da TV Globo, nos envergonham, pois, por mais realista que aquilo aparenta ser, o brasileiro não é um ‘boca suja’.

Por sua vez, o Ministério Público, órgão responsável por monitorar o que é veiculado na TV e punir qualquer irregularidade como esses palavrões, vem se omitindo e fingindo que nada está acontecendo.

Hoje quando assisto novelas, fico chocado não com as cenas, mas sim com a agressividade das palavras, dos termos apresentados e de uma realidade minúscula que vem sendo aumentada ao extremo. As vezes parece que o “Teste de Fidelidade” ou o “Casos de família” tem menos palavrões que essas novelas que só não são criticadas tanto quanto esses programas porque são veiculadas pela emissora líder de audiência no país.

E nessa fica a dúvida, o respeito com o telespectador chegou mesmo ao fim?

Informar Erro

- CONTINUE DEPOIS DA PUBLICIDADE -

Leia também

Nós usamos cookies e outras tecnologias semelhantes para melhorar a sua experiência em nossos serviços, personalizar publicidade e recomendar conteúdo de seu interesse. Ao utilizar nossos serviços, você concorda com tal monitoramento.

Prosseguir