Em setembro, homem matou a ex, um policial e acabou morto em Piracicaba

.

- PUBLICIDADE -

Hoje a nossa retrospectiva chega a setembro. Relembre a seguir as notícias mais lidas do mês no PIRANOT.

Foto: Valter Martins / PIRANOT

- CONTINUE DEPOIS DA PUBLICIDADE -

TRAGÉDIA – Um rapaz surtou e acabou matando o próprio pai no dia 04. O crime ocorreu no bairro Chapadão, em Piracicaba. Ele foi preso pela Polícia Militar.

A vítima foi atacada quando pintava o portão da residência com diversos objetos na região da cabeça, entre eles um machado. Ela morreu na hora.

A mãe do rapaz, em entrevista, contou que o rapaz sofria de esquizofrenia e que por pouco não foi agredida também.

Foto: Divulgação

ACIDENTE – O piloto André Minoru, da equipe Ester, morreu na manhã do dia 17 durante a quarta etapa do Campeonato ECPA de Arrancada no Esporte Clube Piracicabano de Automobilismo no distrito de Tupi.

O piloto perdeu o controle do veículo, um Volkswagen Gol, bateu contra pneus em uma curva, chegou a ser socorrido, mas não resistiu aos ferimentos e morreu. O carro passou por perícia e foi guinchado. Diante dos fatos, a competição foi suspensa.

.

HOMICÍDIO E SUICÍDIO – Um homem matou a mulher e se suicidou em seguida. O crime foi na região do bairro Industrial por volta das 16 horas do dia 26. A filha do casal, acompanhada de um advogado, pediu para que o nome dos pais e o endereço da casa não fossem divulgados.

Antes de cometer o crime, o homem deixou pronto os papeis da funerária.

.

Foto: Wagner Romano / PIRANOT

TRIPLO HOMICÍDIO – Uma noite de terror em Piracicaba. Foi isso que ocorreu no dia 27 quando um homem matou a ex-namorada na Rua Presidente Venceslau, bairro Vila Cristina. Após o crime, ele fugiu, foi perseguido pela PM, atirou na cabeça de um cabo da corporação e acabou morto.

Foto: Divulgação

O policial, conhecido como Brito, chegou a ser socorrido para a Santa Casa com um tiro na cabeça, mas não resistiu aos ferimentos.

Foto: Reprodução / Facebook

A mulher morta é Edinalva Maria Coelho de Souza. Ela já tinha diversos boletins de ocorrência contra o agressor que era considerado pela família como ciumento e violento. Ele não aceitava o fim do relacionamento.

Informar Erro

- CONTINUE DEPOIS DA PUBLICIDADE -

Leia também

Nós usamos cookies e outras tecnologias semelhantes para melhorar a sua experiência em nossos serviços, personalizar publicidade e recomendar conteúdo de seu interesse. Ao utilizar nossos serviços, você concorda com tal monitoramento.

Prosseguir